Depressão em Idosos

A depressão em idosos é algo comum e muitas vezes não diagnosticado . Suas consequências de forma indireta levam à incapacitação e ao prejuízo funcional, com riscos aumentados de hospitalização e maior utilização dos serviços médicos. Diante desses fatos, torna-se evidente que não é possível considerar a depressão no idoso uma simples conseqüência "natural" do envelhecimento, mas um problema de saúde que deve ser tratado.

A síndrome depressiva no idoso esta associado ha sentimentos de vazio ou tristeza (o indivíduo se sente triste, sem esperanças, desencorajado ). Pode haver, ainda, irritabilidade aumentada, ansiedade ou apatia (sentimento da "falta de sentimentos"), com redução do interesse pelas atividades diárias ("não se importam mais" com nada), decréscimo da capacidade para experimentar prazer (anedonia) e retraimento social. Podem estar presentes sentimentos de baixa auto-estima, pouca autoconfiança e lembranças sobre frustrações do passado, bem como idéias de culpa (os pacientes sentem-se um peso para os outros), pessimismo (avaliam quaisquer dificuldades como obstáculos intransponíveis), auto-recriminação, menos valia e suicídio (desde o desejo de que seria melhor estar morto ou pensamentos transitórios e recorrentes sobre suicídio, até planos específicos para se matar). O curso do pensamento pode estar lentificado, com diminuição da concentração e dificuldade para tomar decisões. O humor diminuído varia pouco dia após dia e parece não responder às circunstâncias exteriores.

Além dos sintomas psícologicos, estão presentes num episódio depressivo os chamados "sintomas somáticos": sensação de diminuição da energia, cansaço e fadiga (tarefas mais leves exigem um esforço considerável), alterações de sono - com insônia inicial, intermediária (o paciente acorda durante a noite e tem dificuldade para voltar a dormir) ou terminal (despertar precoce com incapacidade de conciliar novamente o sono) e, menos freqüentemente, hipersônia -, além de alterações do apetite (sentem que precisam forçar a comer ou ocorre uma avidez por doces e carboidratos), alterações do peso (perda ou elevação), diminuição da libido e retardo (ou agitação).