Quedas em idosos

A queda é um dos problemas mais comuns entre os idosos. Muitas vezes, provocam fraturas com consequências graves para a qualidade de vida e a saúde, como imobilidade, dependência, além do alto índice de mortalidade pós-operatorio.



As estatísticas comprovam a gravidade do problema. Mais de 30% dos idosos que fraturaram o fêmur morrem em um ano. Além disso, o indivíduo que passou por uma cirurgia decorrente de queda pode ter complicações como tromboembolismo pulmonar (bloqueio da artéria pulmonar), broncopneumonia, risco cardíaco e infecções de maneira geral.

A queda com fratura muda a qualidade de vida, muitas vezes é um divisor de águas, o que leva o idoso a ter outra doença e se tornar dependente. Uma parte vai voltar a andar, mas outra, não. O Brasil não está preparado para evitar quedas, devido ao ambiente externo ainda inadequado à acessibilidade dos idosos na maioria das cidades.

O Ministerio da Suade dispõe projetos Casa Segura, novo conceito de moradia que oferece ambientação adequada, segura e confortável para o idoso e faz parte do Programa de Atenção Integral à Saúde do Idoso.

A prevenção da queda é de importância ímpar pelo seu potencial de diminuir a morbidade e a mortalidade, os custos hospitalares e o asilamento consequentes. Os programas de prevenção têm a vantagem de, paralelamente, melhorar a saúde como um todo, bem como a qualidade de vida, sendo sua prática especialmente importante para a faixa etária mais idosa.

As causas da queda podem estar relacionadas ao ambiente externo – calçada inadequada, iluminação, tapetes, localização dos móveis – ou ao próprio paciente, que possivelmente esteja frágil em algum aspecto – com alterações sensitivas (visual, audição, tato, equilíbrio), perda de força muscular ou alterações cardíacas e vasculares graves.

Existem também as causas secundárias, como o uso de medicações que podem alterar a pressão arterial e provocar tontura. Entre as recomendações para tornar os ambientes seguros para a terceira idade, estão:

• Acesso deve ser fácil, sem barreiras, com piso externo áspero e marcações claras no caminho;
• Trincos de segurança deslizantes, maçaneta tipo alavanca;
• Rampas para vencer desníveis;
• Boa iluminação: interruptores de luz próximos à cama, luz de emergência e luz noturna nos banheiros, corredores e cozinha;
• Ambientes livres de obstáculos, principalmente objetos e móveis baixos;
• Barras de segurança em alguns cômodos;
• Gavetas de fácil abertura;
• Objetos de uso frequente devem estar em locais de fácil acesso.